Entenda Exatamente o que é a Hipertensão e Descubra Várias Maneiras Naturais de se Livrar da Pressão Alta

 

A hipertensão, ou pressão alta, é um problema que afeta cada vez mais pessoas no Brasil e no mundo. Um inimigo silencioso, seu diagnóstico não é fácil e suas consequências são graves.

Esse problema de saúde surge ao longo dos anos e é caracterizado pela pressão arterial em níveis considerados altos demais.

Aqui neste artigo você vai entender tudo sobre a hipertensão e como preveni-la ou combatê-la da melhor maneira.

Todas as pessoas possuem sangue fluindo nos vasos sanguíneos, e a movimentação do sangue só é possível por conta de nossa pressão arterial.

A pressão arterial é a pressão com a qual o sangue flui no interior dos vasos sanguíneos, através da força proveniente dos batimentos cardíacos. Quanto mais sangue é bombeado pelo coração por minuto, maior será a pressão.

A pressão arterial não é algo fixo. Ela pode variar de maneira instantânea, dependendo do estado da pessoa no momento em que a pressão foi medida.

Você gostaria de baixar sua pressão com rapidez e sem remédios? Clique aqui e conheça o método do Dr. Lair Ribeiro

 

O que é Hipertensão Arterial, ou Pressão Alta?

Hipertensão: conheça os perigos da pressão alta

 

A hipertensão arterial, popularmente conhecida como pressão alta, é um problema de saúde geralmente silencioso, que não manifesta sintomas e dificulta o diagnóstico por parte dos médicos.

Um paciente é considerado hipertenso quando sua pressão arterial é igual ou superior a 140 x 90, ou 14 por 9.

 

A Diferença Entre Pressão Sistólica e Diastólica

Quando bate, o coração se contrai e relaxa, bombeando sangue pelas artérias até o restante do corpo. Essa força de batimento cria uma pressão sobre as artérias, que é chamada de pressão sistólica.

Já quando o coração entra em repouso, e o sangue corre pelos vasos sanguíneos, ocorre um tipo de pressão que é chamada de diastólica.

É por isso que a pressão arterial é aferida com duas medidas.

 

Pressão Arterial

O que é pressão arterial

 

A pressão arterial é definida da seguinte maneira:

  • Normotensos / pressão normal – valores de pressão arterial menores ou iguais a 12 por 8;
  • Pré-hipertensos – valores de pressão arterial entre 12 por 8 e 13 por 9;
  • Hipertensos Grau I – valores de pressão arterial entre 14 por 9 e 15 por 9;
  • Hipertensos Grau II – valores de pressão arterial iguais ou superiores a 16 por 10.

 

 

Números da Hipertensão Arterial

De acordo com dados divulgados pela Sociedade Brasileira de Hipertensão, o país possui atualmente cerca de 17 milhões de pessoas que sofrem com pressão alta.

A expectativa é de que até o ano de 2025 o número de pessoas hipertensas em países subdesenvolvidos, como é o caso do Brasil, deva crescer em cerca de 80%.

Por conta dos números alarmantes e potencial crescimento do problema, trabalhos de prevenção e conscientização são de suma importância.

Veja alguns números importantes sobre esse problema de saúde:

  • Cerca de 450 mil pessoas morrem anualmente em decorrência de AVE – Acidente Vascular Encefálico em todo o mundo, ocasionados por hipertensão arterial;
  • No Brasil, mais de 1 milhão de pessoas morrem anualmente em decorrência a problemas cardiovasculares, causados pela pressão alta;
  • Mais de 300 mil brasileiros sofrem infarto anualmente, em decorrência de hipertensão;
  • Doenças cardiovasculares são as principais causas de morte no Brasil;
  • Estima-se que 25% da população brasileira seja hipertensa. Em pessoas com mais de 60 anos, essa porcentagem pode chegar a 60%.

Clique aqui e aprenda a baixar a pressão naturalmente (SEM REMÉDIOS)

 

Principais Causas da Pressão Alta

Causas da pressão alta e hipertensão

 

A pressão arterial pode se elevar por conta de determinados fatores. No entanto, a principal causa da hipertensão arterial é contração dos vasos sanguíneos, que dificulta o fluxo de sangue.

Dentre os fatores que podem causar a dificuldade da circulação sanguínea pelos vasos estão:

  • Histórico de pessoas com pressão alta na família;
  • Sobrepeso;
  • Obesidade;
  • Diabetes;
  • Dieta em rico em sódio, carboidratos refinados e gorduras de má qualidade;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Consumo excessivo de bebida alcóolica;
  • Altos níveis de colesterol e triglicérides sanguíneos;
  • Estresse.

 

Sintomas de Pressão Alta

Sintomas da pressão alta

 

Embora tenha um início assintomático, em determinado momento a hipertensão arterial se manifesta através de sinais e sintomas específicos. Os mais comuns são:

  • Dores pontuais na nuca;
  • Visão embaçada;
  • Cansaço sem causa aparente;
  • Tonturas;
  • Náuseas;
  • Enjoos;
  • Sangramentos nasais.

Clique aqui e aprenda um método ideal para baixar a pressão sem remédios

 

Complicações Comuns da Hipertensão

Dúvidas comuns sobre a hipertensão

 

Por afetar a oferta de sangue e consequentemente de oxigênio e nutrientes para o corpo, é muito comum que pessoas que não tratem a pressão alta sofram algum tipo de complicação. As mais comuns são:

  • Insuficiência cardíaca;
  • Infarto;
  • Arritmias ou taquicardia;
  • Morte súbita;
  • Aneurisma cerebral;
  • Perda da visão;
  • Insuficiência renal;
  • AVE;
  • Arteriosclerose;
  • Demência por conta de falta de oxigenação cerebral.

 

Diagnóstico e o Tratamento Clássico

Como tratar a pressão arterial elevada?

 

O diagnóstico da pressão alta se dá pela aferição da pressão arterial, feita durante uma consulta médica.

Uma vez descoberta, a doença geralmente é tratada com medicamentos vasodilatores. Ou seja, remédios que dilatam os vasos sanguíneos e facilitam o fluxo sanguíneo pelo interior de vasos e artérias.

No entanto, existem outras maneiras de tratar, prevenir e reverter a hipertensão. E é sobre eles que vamos falar a seguir.

Clique aqui e conheça como baixar a pressão de forma rápida (SEM REMÉDIOS)

 

Como Reverter a Pressão Alta Naturalmente?

É possível reverter pressão alta com alimentos e exercícios?

 

Embora seja um problema de saúde considerado grave, a pressão alta pode ser revertida e/ou controlada por meio de dois hábitos importantes: a prática de exercícios físicos e uma alimentação adequada.

 

Atividades Físicas e a Hipertensão Arterial

Não é segredo algum que a prática de atividades físicas é algo muito importante para a manutenção de uma vida saudável.

Como citado anteriormente, a principal causa da hipertensão arterial é a obstrução dos vasos sanguíneos, independentemente de qual seja a forma. Seja por conta de excesso de gordura corporal, ou então por conta de obstruções internas.

Quando se prática atividades físicas, a tendência é que o organismo utilize a gordura corporal como substrato energético. Ou seja, que use gordura como energia para realização de funções corporais específicas.

Com a diminuição dos níveis de gordura corporal e também de gordura no sangue, os vasos sanguíneos se tornam menos pressionados e o resultado é uma fluidez sanguínea facilitada, que faz com que os níveis de pressão arterial diminuam e se tornem mais controlados.

Mas isso não é tudo.

Atividades físicas também auxiliam o organismo a produzir e liberar alguns hormônios. Entre os principais hormônios liberados durante a prática de atividades físicas estão as catecolaminas, que são a adrenalina e a noradrenalina.

Quando se prática atividade física, a produção desses dois hormônios é aumentada, isso faz com que o organismo aumente sua taxa metabólica, aumente a liberação de glicose e ácidos graxos como fonte de energia, além de promover a vasodilatação, ou seja, o relaxamento dos vasos sanguíneos.

 

 

No entanto, o tipo de exercício e sua intensidade interferem diretamente na produção e liberação de ambos os hormônios.

A velha e boa caminhada ajuda e funciona sim, vamos deixar isso claro, mas um treino intenso ainda traz mais vantagens.

Atividades físicas intensas, por exemplo, potencializam a liberação das catecolaminas e ainda auxiliam na diminuição dos níveis de gordura corporal.

Nós falamos muito sobre o treino HIIT aqui no Emagrecendo.info, e não é à toa. As pesquisas demonstram que o HIIT é superior a exercícios aeróbico de baixa intensidade para quem deseja controlar a pressão alta.

Uma pesquisa publicada na Nature mostra que tanto o HIIT quanto exercício aeróbico contínuo baixam de forma igual a pressão arterial. No entanto, apenas o HIIT é capaz de:

  • reduzir a calcificação arterial
  • melhorar a artéria carótida femoral
  • melhorar a função cardiorrespiratória
  • melhorar a resposta hormonal do corpo ao exercício físico
  • melhorar a função endotelial

Em resumo, o HIIT é extremamente eficaz para relaxar as veias, o que ajuda a explicar sua capacidade de reduzir a hipertensão. UM método de HIIT que recomendamos bastante é o Total HIIT, de Thiago Pugliesi.

Clique aqui e conheça o treino HIIT que recomendamos (para fazer em casa!)

 

A Importância da Alimentação

Outro item fundamental a ser entendido por quem busca diminuir a pressão alta é a alimentação.

O primeiro passo para quem quer controlar os níveis de pressão arterial é diminuir o consumo de sódio.

Esse mineral, embora importante para o pleno funcionamento do organismo, quando consumido de maneira excessiva contribui para a ocorrência da hipertensão arterial.

Quando se consome sódio de maneira excessiva, o volume sanguíneo dentro de veias e artérias tendem a aumentar. Isso ocorre pelo simples fato do sódio atrair moléculas de água.

Por isso, quando uma pessoa ingere um alimento muito salgado, o mineral se acumula no fluído extracelular, ou seja, fora das células. Com isso, há um aumento da afinidade desses fluídos com a água e o organismo, que tenta preservar seu equilíbrio osmótico.

 

 

Dessa forma, o organismo retém mais água e torna o sangue mais denso, circulando de maneira deficiente pelos vasos sanguíneos causando a hipertensão arterial.

Além do mais, quando se consome sódio de modo excessivo, os hormônios antidiuréticos são liberados fazendo com que os rins retenham grandes quantidades de água. Isso aumenta a sensação de sede e piora o quadro de hipertensão arterial.

Adotar uma alimentação rica em gorduras de má qualidade e carboidratos simples também colaboram para a ocorrência de pressão alta, afinal, quando consumidos de maneira excessiva, fazem com que o organismo acumule gordura.

Quanto maior for a quantidade de gordura corporal, mais difícil será para o sangue circular nos vasos sanguíneos, ocasionando assim, a hipertensão arterial.

Por conta disso, é muito comum que nutricionistas recomendem uma alimentação com menores índices de carboidrato para controle de peso e, consequentemente, como forma de controlar a hipertensão.

Low-Carb e a Pressão Alta

A dieta low carb é uma excelente pedida para quem quer controlar a pressão arterial. Outras dietas que também podem ajudar são a dieta paleo e a cetogênica.

Além de funcionarem bem para emagrecer e reduzir a gordura corporal, facilitando a circulação do sangue pelas veias, essas dietas eliminam o excesso de água, que também contribui para reduzir a pressão das artérias.

Contudo, unir a prática de atividades físicas com uma alimentação saudável é a melhor forma de prevenir ou então reverter a hipertensão arterial.

 

Magnésio para o Controle da Hipertensão Arterial

 

Existe muitas dúvidas e questionamentos sobre a utilização do magnésio como forma de prevenir ou controlar a pressão alta.

No entanto, antes de falar disso, vamos explicar um pouco sobre esse importante mineral.

Clique aqui e aprenda a controlar a pressão SEM REMÉDIOS

 

O que é o Magnésio?

O magnésio é um mineral fundamental para o pleno funcionamento do organismo como um todo.

Esse importante mineral participa ativamente de mais de 300 reações em todo o organismo.

Algumas de suas funções consistem em ativar enzimas que participam da metabolização de eletrólitos, lipídios, carboidratos e também proteínas.

A produção de energia celular, a síntese de proteínas e até mesmo a produção e liberação hormonal, por exemplo, não ocorreriam sem a presença do magnésio.

Outra função importante do magnésio, diretamente ligada às questões de controle arterial, se dá pelo controle da tonicidade de vasos sanguíneos.

 

 

Magnésio e a Hipertensão Arterial

O magnésio atua como um antagonista do cálcio natural, e isso modula os tônus de vasos sanguíneos, melhorando a passagem do sangue.

Estudos demonstraram que o magnésio é responsável por causar o relaxamento da musculatura lisa e por inibir a transmissão neuromuscular, fazendo com que os vasos sanguíneos se tornem menos densos e fechados.

Pesquisadores afirmaram que o magnésio pode atuar de modos diferentes no organismo, quando utilizado no tratamento da pressão alta.

A primeira maneira seria ligando-se a um substrato que dá origem a um complexo que interage com enzimas específicas, e a segunda, unindo-se diretamente à enzima, modificando sua estrutura de atuação.

Em ambos os casos, o magnésio aumentaria a resistência plaquetária, controlando a agregação de plaquetas por mecanismos inibitórios de cálcio.

Essa ação, inibe a atuação de enzimas conversoras de angiotensina, o que causaria automaticamente vasodilatação e diminuição dos índices de hipertensão.

Dessa forma, suplementar com magnésio, pode sim, ser uma ótima opção para quem busca reverter os problemas de hipertensão.

Clique aqui e conheça como baixar a pressão naturalmente (SEM REMÉDIOS)

 

Dúvidas Comuns Sobre Pressão Alta

 

A exemplo de muitas outras patologias, a hipertensão arterial levanta uma série de dúvidas nas pessoas. A seguir, é possível visualizar os questionamentos mais comuns acerca dessa doença tão comum no Brasil.

 

A pressão alta tem cura?

Não. A hipertensão quando diagnosticada pode ser apenas controlada, através de alimentação adequada (de preferência low carb), prática de atividades físicas e suplementação com magnésio.

Qualquer elevação de pressão arterial é considerada pressão alta?

Não. A pressão pode se elevar momentaneamente por uma série de fatores. O estado psicológico de uma pessoa, hábitos e atividades cotidianos podem alterar rapidamente os níveis de pressão arterial.

Para um diagnóstico correto, uma pessoa precisa apresentar níveis de pressão arterial acima dos valores considerados normais, obtidos em duas ou mais aferições médicas.

Com que frequência a pressão arterial deve ser medida?

Pessoas que não possuem pressão alta devem fazer a verificação a cada seis meses. Já pessoas que foram diagnosticadas com o problema de saúde, devem verificar a pressão de acordo com recomendações médicas, que normalmente são semanais ou quinzenais.

Quem é mais propenso ao desenvolvimento de hipertensão: o homem ou a mulher?

Na idade adulta, o número de homens hipertensos tende a ser maior do que o de mulheres. No entanto, após o período de menopausa, mulheres possuem uma prevalência igual ou superior aos homens.

A doença possui origem genética?

A hipertensão arterial é uma doença multifatorial. Ou seja, depende de mais associações para sua ocorrência. A genética não é fator determinante para ocorrência desse problema de saúde, mas ter uma predisposição genética e levar uma vida estressante, por exemplo, pode facilitar a ocorrência do problema.

Clique aqui e descubra um método para baixar a pressão mais eficiente do que remédios

 

Ainda possui alguma dúvida ou questionamento sobre hipertensão arterial? Basta deixar um comentário que responderemos o mais rápido possível.

AUTOR: MURILO CAMANO – Nutricionista e biomédico pós-graduado em nutrição esportiva. CRBM 17665 | CRN3 51723 – Saiba mais sobre o autor

Referência Científica:
 

http://www.sbh.org.br/geral/noticias.asp?id=69

https://www.scielosp.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2006000900031&lng=pt&nrm=iso

http://cientifico.cardiol.br/cnbb/Aulas/Hipertensao-Arterial.pdf

http://www.scielo.br/pdf/%0D/abem/v43n4/11752.pdf

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86921997000400006

http://www.abran.org.br/RevistaE/index.php/IJNutrology/article/viewFile/258/215

http://www.abran.org.br/RevistaE/index.php/IJNutrology/article/viewFile/258/215

Gostou do artigo? Tem dúvidas? Deixe seu comentário! ;)

/* */