Tomando nutritivos shakes, é possível perder peso com mais saúde, e sem passar fome – mas é preciso atentar para a qualidade dos shakes e a forma de tomá-los.

Perder peso sem passar fome?
Com o uso de shakes, industrializados ou caseiros, é possível. Basta substituir refeições por essas bebidas nutritivas, reduzindo o consumo de calorias e acelerando o metabolismo.

Mas atenção! Apesar de parecer fácil, para seguir essa dieta é importante ter muito cuidado, tanto com a composição dos shakes – que devem apresentar a quantidade certa de nutrientes – quanto com a duração da dieta.

Pontos positivos

A Dieta do Shake é uma boa ideia para quem não tem pressa de emagrecer logo de vez, e também não quer passar fome. Apesar de trazer uma redução calórica, essa dieta não é excessivamente restritiva, o que a torna mais fácil e prática de seguir (sem as temidas “recaídas”), e também mais saudável.

Pontos negativos

A dieta não deve ser seguida por um longo tempo. Isso porque mesmo os melhores shakes não trazem a mesma quantidade de nutrientes que uma refeição completa. A deficiência de minerais e vitaminas no organismo pode levar à anemia, cansaço, baixa imunidade, falta de concentração e fraqueza.

A carência de nutrientes também pode manifestar-se em sinais externos claros, como unhas fracas e quebradiças e queda de cabelos.

O excesso de fibras que podem ser consumidas com os shakes também podem causar transtornos intestinais, com gases, diarréias ou intestino preso.

Finalmente, é importante ressaltar que essa dieta não deve ser seguida por crianças ou adolescentes, uma vez que o consumo apropriado de minerais e vitaminas é essencial para seu desenvolvimento saudável.

Como seguir a Dieta do Shake

Para seguir a Dieta do Shake, é preciso substituir uma refeição diária por um shake, seja ele industrializado (daqueles que vêm prontos, e podem ser comprados em farmácias ou supermercados) ou caseiro.

Nem todas as refeições devem ser substituídas por shake – o ideal é que seja apenas uma refeição principal e, no máximo, um lanche. Para um resultado melhor, é interessante alternar a refeição principal substituída, priorizando sempre aquela em que consome-se mais calorias. Assim, se em um dia o almoço foi substituído, pode-se tomar o shake no dia seguinte no café da manhã.

Quando o shake for consumido, ele deve ser acompanhado de algum alimento sólido mais leve, como uma fruta, verdura ou caldo. Isso ajuda a prevenir carências nutricionais.

Finalmente, é bastante importante redobrar a atenção em relação às demais refeições, que devem ser balanceadas e completas.

Escolhendo seu shake industrializado

Para uma Dieta do Shake bem sucedida e, principalmente, saudável, é importante tomar cuidado na hora de escolher o seu shake. Na hora de comprar o seu, leve em consideração as seguintes dicas:

  • proibidos: cheque se o shake está livre de gordura trans, gorduras saturadas e açúcar;
  • de tudo um pouco: preste atenção se o shake contém os vários nutrientes importantes para o corpo, como sais minerais, carboidratos e proteínas;
  • satisfeita: também é importante que o shake contenha fibras, que darão aquela sensação de saciedade para mantê-la satisfeita até a próxima refeição;
  • shake magrinho: como um dos objetivos da dieta é a redução no consumo de calorias, vale a pena contar quantos estão no shake – o ideal é que sejam, no máximo, 130 kcal para cada porção de 3 colheres de sopa.

Preparando seu shake caseiro

Para as que preferirem fazer a dieta de forma menos prática, mas mais natural, a dica é preparar os shakes em casa. O segredo é usar uma base de leites e iogurtes desnatados, ou mesmo o leite de soja, batidos com frutas, aveia e linhaça.

Vale ainda juntar algumas hortaliças (como agrião, beterraba e cenoura) e castanhas, que tornarão sua receita ainda mais nutritiva e ajudarão a garantir pele, unhas e cabelos maravilhosos.

Resultados

O ideal, no caso da Dieta do Shake, é perder aproximadamente um quilo por semana. Assim, ao final do mês, a perda total será de 4 quilos. Se a perda de peso for muito acentuada, isso será um mal sinal, por mostrar que o corpo está queimando massa muscular magra ao invés de gordura.

Após o fim da dieta, é importante manter hábitos alimentares saudáveis, se possível aliados à prática regular de exercícios físicos, para não ganhar o peso novamente.

 

AUTORA: DANIELA SCHIAVON – Blogueira especializada em saúde e boa forma, avaliadora de produtos e suplementos. – Saiba mais sobre a autora

Gostou do artigo? Tem dúvidas? Deixe seu comentário! ;)